Com o apoio de protetores independentes, UBS Animal realiza castração de gatos comunitários

Publicado em 26/06/2020
Imagem: Banco de Imagens
Imagem: Banco de Imagens

Você já ouviu falar em animal comunitário? Não? Então, nós explicamos: é aquele cachorro ou gato que, apesar de não ter tutor definido e único, é adotado por grupos específicos de pessoas, que têm a responsabilidade de cuidar de um ou mais animais, sem necessariamente levá-los para casa.

Muitos animais tonam-se comunitários em função do ato criminoso do abandono e evitar que eles continuem se reproduzindo nas ruas é um desafio, que requer a união do poder público e da sociedade civil. E foi o que aconteceu no último sábado, 13, quando a UBS Animal, por meio da Secretaria de Meio Ambiente, uniu esforços a 15 protetores independentes para esterilizar (castrar), gratuitamente, 22 gatos machos e fêmeas considerados comunitários.

Alguns protetores acordaram de madrugada para instalar as armadilhas, para captura segura dos animais, às vezes até se camuflando. “Sabemos da importância de castrar esses animais, pois a cirurgia melhora a qualidade de vida deles e ainda impede crias indesejadas, diminuindo o número de animais que crescem em situação de abandono”, declarou o protetor independente há 8 anos, José Luiz Liticanov, que, sozinho, capturou 5 gatos para a ação.

O secretário municipal de Meio Ambiente, Carlos Alexandre Ribeiro Gomes, explica que, com o início das atividades da UBS Animal, as castrações de animais comunitários serão realizadas regularmente. “Os protetores independentes realizaram um mapeamento de regiões da cidade onde existem colônias de gatos. Nas ruas, infelizmente essa espécie de animal doméstico é que a se reproduz mais rapidamente, resultando num aumento populacional quase que exponencial”, detalha o secretário, que completa: “nossa meta é realizar as castrações dos animais comunitários regularmente, contribuindo para o bem-estar e a saúde desses animais que não escolheram viver nesta situação; promover o controle populacional, evitando que novos indivíduos nasçam e cresçam em situação de risco; e auxiliar nas ações em favor da saúde pública”.

Carlos também explica que, o trabalho de controle populacional de animais em situação comunitária ou de abandono é uma iniciativa de resultados de longo prazo. “Primeiramente, é preciso consciência por parte da população. O que faz com que os animais se reproduzam e vivam nas ruas é o abandono e a falta de cuidados básicos com eles, como alimentação e castração. Portanto nossa recomendação é que, na dúvida sobre sua possibilidade de oferecer cuidados integrais, a pessoa não se aventure a ter um animal de estimação, pois ele é dependente do tutor, precisa de cuidados afetivos, alimentares e de saúde, e gera custos”, conscientiza o secretário, que conclui: “o poder público municipal está avançando no processo de reduzir o número de animais abandonados ou comunitários, mas é um trabalho delicado, pois muitos desses animais tornam-se ariscos ao contato humano, não sendo possível e nem adequado simplesmente removê-los de seus habitats, já que boa parte desenvolve dificuldades de voltar ao convívio doméstico”.

Castração de baixo custo e sem custo

Conforme decreto municipal que regulamenta os atendimentos da UBS Animal, a partir de 1º de julho, o departamento retomará os projetos de castração de baixo custo e sem custo para a população de Sertãozinho e Cruz das Posses.

Para ser atendido pela modalidade sem custo, o cidadão deve comprovar participação em algum programa social, seja municipal, estadual ou federal. Na UBS Animal, o atendente fará a confirmação dos dados para que o agendamento da cirurgia seja feito.

Já a modalidade de baixo custo se destina a qualquer cidadão que não atenda ao critério social. Nesse caso, basta que o munícipe retire uma guia na UBS Animal, realize o recolhimento de uma taxa simbólica de R$ 50, para ter o agendamento da cirurgia de seu animalzinho formalizado.

As avaliações e agendamentos de castrações acontecem de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h. É preciso apresentar RG, CPF e comprovante de residência, além de documento comprobatório de cadastro social, nos casos de castração sem custo.

Outras informações podem ser obtidas pelo telefone: 3947-3218.

Fonte: Departamento de Comunicação PMS